Antes de começar sua pesquisa, escolha uma música no final da página.








amanhecer

sábado,28 de maio de 2011

sábado, 30 de janeiro de 2010

@República Velha

República Velha
Introdução

Em 15 de novembro de 1889, aconteceu a Proclamação da República, liderada pelo Marechal Deodoro da Fonseca, o Brasil foi governado por militares (Deodoro da Fonseca e Floriano Paixoto). Deodoro da Fonseca tornou-se Chefe do Governo Provisório e em 1891.
Deodoro quando foi eleito em 1891 governou 8 meses. Fechou o Congresso, deu mais poder ao Executivo, tentou dar um golpe, não deu certo e acabou renunciando ao cargo de presidente por problemas de saúde. Floriano Peixoto era vice de Deodoro e assumiu o governo, ele deveria convocar novas eleições conforme o a constitucional de 1891, mas não o fez, e ficou no lugar de Deodoro.
O militar Floriano Peixoto, em seu governo, intensificou a repressão aos que ainda davam apoio à monarquia, combateu a Revolta da Aramada e da Federalista, ajudou a comunidade, baixando preços de imóveis, alimentos, incentivou a industrialização e construções de casas populares.
O governo de Floriano Peixoto satisfez muito a população, tanto que ficou até 1894 onde Floriano passa o cargo de presidente ao cafeicultor paulista Prudente de Moraes, onde acaba a República da Espada.
O período inicial da República brasileira, de 1891 a 1894 é conhecido como República da Espada. Foi um período governado por dois militares, os marechais Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto. Durante este período transicional, foram comuns os levantes populares, e a repressão a focos de resistência simpáticos ao Imperador Dom Pedro II.
Uma junta militar encabeçada por Deodoro da Fonseca governou o Brasil entre 1889 e 1891, quando eleições indiretas o elegeram presidente, com Floriano como vice. Entretanto, Deodoro fechou o Congresso, deu mais poder ao Executivo, tentou dar um golpe, não deu certo e renunciou o cargo no mesmo ano, com problemas de saúde que o afligiam havia anos, e com graves problemas políticos, como atritos com a oligarquia cafeeira, greves, e a Primeira Revolta da Armada. Floriano Peixoto assumiu a presidência, e entre seus atos:
Estimulou a industrialização, concedendo empréstimos a empresários.
Proibiu os bancos particulares de emitirem moeda, o que passava a ser responsabilidade exclusiva do governo federal.
Medidas de repercussão popular: baixou o preço da carne e dos aluguéis residenciais e incentivou a construção de casas populares.
Enfrentou a Revolta dos 13 generais, que exigiam a convocação de eleições presidenciais, punindo e reformando os mesmos.
Combateu a 2ª Revolta da Armada, novamente liderada pelo almirante Custódio de Melo.
E entre seus atos, proibiu o Jornal do Brasil, na época com inclinações monarquistas, de circular até o final de seu governo.
Floriano angariou a confiança da população de maneira geral, e consolidou a República. Entretanto, enfrentou a Revolução Federalista no Rio Grande do Sul, que só terminaria com vitória das tropas republicanas após o governo de Floriano Peixoto, em 1895. Também enfrentou a Segunda Revolta da Armada, e a Revolta dos 13 Generais, com sucesso.
Durante toda a República da Espada, a base governamental foram as oligarquias agrárias. O poder dos militares sucumbiu à força política dos barões do café de São Paulo e aos pecuaristas de Minas Gerais, e com a instituição de eleições diretas, o cafeicultor paulista Prudente de Morais foi eleito Presidente da República, encerrando o período da República da Espada, dando início à Política do Café com Leite, que norteou o restante da República Velha.
Motivos da renúncia:
Oposição da oligarquia cafeeira;
Deodoro dissolve o Congresso Nacional em 3 de novembro de 1891;
Greve na Estrada de Ferro Central do Brasil;
Primeira Revolta da Armada - ameaça do almirante Custódio de Melo de bombardear o Rio de Janeiro.
Em 1893, teve início no Rio Grande do Sul, a Revolução Federalista, liderada pelo fazendeiro Gaspar da Silveira Martins que exigia o afastamento de Júlio de Castilhos (presidente do RS) e a instituição de uma república liberal. Também chamada de Revolta da Degola, a Revolução Federalista contou com a participação dos revoltosos da 2ª Revolta da Armada, que se aliaram aos maragatos de Silveira Martins. Floriano Peixoto não se intimida e mandou tropas para a região sul, em apoio aos "pica-paus" de Júlio de Castilhos.
A revolução transformou-se numa longa e sangrenta luta e provocou a morte de dez mil pessoas (mil pessoas foram degoladas) e só terminou em 1895, no governo de Prudente Moraes, sucessor de Floriano. A vitória coube as tropas de Júlio de Castilhos.
Em 1894, Floriano passa o cargo de presidente ao cafeicultor paulista Prudente de Moraes, onde acaba a República da Espada, dando inicio a República do Café-com-Leite.
Conclusão

Em 1889 aconteceu a proclamação da república, Liderada por Marechal Deodoro da Fonseca.
Deodoro liderou por 8 messes onde renunciou o seu mandato por problemas de saúde. Seu vice-presidente Floriano Peixoto tinha como obrigação da lei de 1889, fazer novas votações para presidência mais não fez, e entrou no lugar de Deodoro, dando inicio a sua liderança.
Floriano Peixoto fez muitas mudanças do Brasil, entre elas corrigiu erros deixado por Deodoro.
A liderança de Floriano foi muito gratificante para o povo brasileiro, pois ele enfrentou duas revoltas, sem temê-los, entres essas revoltas eram a Revolta da Armada e dos Federalistas.
Floriano após anos de luta para melhores condições de nosso país termina seu mandato em 1894, onde passa o cargo de presidente ao cafeicultor paulista Prudente de Moraes, onde acaba a República da Espada, dando inicio a República do Café-com-Leite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário